13 maio, 2009

Liberté, Fraternité, ilegalité

França aprova proposta de lei anti-pirataria que visa cortar o acesso à Internet aos utilizadores que descarreguem conteúdos ilegais.
Medida não chegará a Portugal, refere o Jornal de Notícias.


Em França, foi aprovada uma proposta de lei conta a pirataria que visa impedir o acesso à Internet a quem descarregue conteúdos ilegais.
Mediante esta lei, os utilizadores que descarregarem, por exemplo, músicas ou filmes, serão avisados, no máximo, três vezes. Posteriormente, o operador pode suspender o serviço por um período de um ano, sem necessidade de recorrer a uma decisão judicial.

No entanto, o ministro da Cultura, António Pinto Ribeiro, afirma que a norma «não será a via a seguir pelos outros países da UE». O ministro da Cultura português garantiu, em Bruxelas, que «essas medidas não são susceptíveis de ser aplicadas em Portugal sem que haja uma decisão judicial», uma vez que «o que existe na Internet é para ser usufruído por quem tem acesso à net».

António Pinto Ribeiro considera que crimes como a pedofília ou o tráfico de pessoas que utilizam a Internet como meio de acesso, são casos isolados que «devem ser investigados e punidos».


Ó França: desiludes-me! Depois daquela Revolução toda catita e do Maio de 68, entre outras coisas fixes, é isto que nos apresentas?! Bem sei que estás sob domínio da Direita, mas conto com os jovens franceses para dar umas lições de reivindicação a essa cambada de políticos, como já mostraram ser capazes de lutar pelos seus direitos noutras alturas.

Já imaginava o Tozé Brito a pular de satisfação em cima de DVDs pirata apreendidos, enquanto grita "prendam mas é esses ladrões de carros!". Mas, num volte-face impressionante, o ministro da Cultura vem dizer que não quer cá disso no rectângulo. Sinto-me culpada porque nem sabia o nome dele, mas já aqui lhe presto homenagem.

Agora a sério: É isto que nos apresentam como medida anti-pirataria? Não houve imaginação para mais? Esperam que isto resulte durante quanto tempo? E, claro, a pessoa fica impedida de usufruir da internet mas continua a paga-la, não fosse a medida arreliar os operadores de internet.

Como é que se escreve hipócritas em francês mesmo?

1 comentário:

elsadossantos disse...

«o que existe na Internet é para ser usufruído por quem tem acesso à net»

e mai nada!

os eruditos (?) da cultura portuguesa que se continuem a queixar e a apontar defeitos onde não os há, se é que só isso os faz felizes... os estados unidos deve ser o país que maior tráfego do mundo tem, quer a nível de uploads quer de downloads, e no entanto os sucessos de bilheteira continuam a existir, bem como os cd's que se prolongam semanas pelos tops. a questão está em falta de qualidade. não é por aí, meus amigos, não é por aí...

*