23 março, 2012

não, não sou a única (mas gostava)


Terça-feira, no final do jogo do Benfica (Benficaaaa!!!!!!), recebi uma mensagem de um amigo lagarto a perguntar-me se eu estava no estádio, porque lhe pareceu ter-me visto na televisão. Hoje, uma rapariga com quem não falo há dois anos mandou-me uma mensagem a perguntar-me se eu tinha dado uma entrevista à TVI durante as manifestações. Não fui ao estádio nem à greve (infelizmente para as duas).

Há montes de gente que, quando me conhece pela primeira vez, me diz que a minha cara não lhe é estranha. Quando tinha 16 anos, as minhas colegas do basket diziam que tinham uma professora igual a mim, e até lhe perguntaram se ela não tinha uma prima chamada Sara, mesmo depois de eu ter dito que a senhora não era minha parente.

Das duas uma: ou a minha mãe teve duas filhas e nunca me disse a verdade, ou eu tenho a cara mais comum de sempre. Nenhuma delas é fixe.

2 comentários:

Susana disse...

Tens razão, sou madrasta orgulhosa!

Anónimo disse...

será um clone?