13 novembro, 2011

Algum museu precisa de uma carta de condução para exposição?

- Mãe, posso ir eu buscar a avó?
- Com esta chuva/sol/a esta hora/com este trânsito?
...

Note-se que a minha avó mora a 10 minutos a pé de minha casa.

Se ainda não têm a carta e querem tirá-la, certifiquem-se que vão poder tocar num carro depois. É que estar dois anos sem conduzir gera medo e insegurança no infeliz encartado. Sobretudo quando a confiança que lhe dão é a descrita neste post.

7 comentários:

Cirrus disse...

Sara, tem calma. A função de condutor é altamente sobrestimada. Sobretudo com tantos, tão bons e tão baratos transportes públicos...

Já tens o passe social +?

Catsone disse...

Sara, pela segurança rodoviária, estou do lado das mães galinha/protectoras
:D

Navajovsky disse...

pois eu concordo inteiramente contigo, até porque estou exactamente na mesma posição, com a ligeira nuance que depois a minha mãe ainda me manda bocas a dizer que eu nunca conduzo (!!).

A questão aqui não é não se querer utilizar transportes públicos. Eu, por exemplo, faço a minha vida todinha a pé e sempre que preciso de ir mais longe uso transportes públicos. Trazer o carro para a cidade seria estúpido. Mas tirei a carta, paguei por ela e pode numa eventualidade fazer-me falta conduzir (ainda por cima tendo em conta que a minha terra natal é no fim de mundo, practicamente sem acesso por tranportes públicos) e ficaria toda aflita por falta de prática. Nos fins-de-semana dar umas voltas na terrinha, só para não me esquecer de como se faz um ponto de embraiagem e se estaciona, era excelente.

Luna Tic disse...

eu pensava que tirar a carta era um grande feito e quando o fiz fiquei orgulhosa de mim.

depois olha... lembrei-me que ter um carro é um luxo que a mim não me assiste, por força das circunstâncias.

Vita C disse...

Eu tirei a carta já tarde (aos 25) porque me saiu completamente do bolso (nunca tive mesada nem dinheiro nos anos ou no natal, portanto ...). E nem aí me deixavam pegar no carro. Foi preciso, há três anos, ir trabalhar numa empresa onde tenho de ir a tudo o que é sítio para me passaram uma carrinha fechada para as mãos. ao meu "hã, mas eu não tenho muita prática ..." seguiu-se uma grande dose de desenrascanço e a certeza de que um seguro contra todos (que é uma definição errónea) dá muito jeito, mesmo que, felizmente, nunca tenha sido preciso. hoje já me deixam pegar em tudo o que tem quatro rodas ... passei de renegada a motorista.

Sara non c'e disse...

Cirrus, eu sei, nem ter carro está nos meus planos mais próximos, mas enquanto não o tenho queria praticar... Para que um dia quando tenha de pegar num não me dar nenhum fanico. Sobre o Passe Social +, não estou muito informada sobre isso, mas acho que só pessoas com um rendimento abaixo do IAS (419€) é que tem direito, não é? De qualquer maneira, este ano fim o IRS juntamente com a minha mãe, pelo que nao teria direito de certeza...

Catsone, daqui a uns aninhos vais passar por isto aí em casa, com os teus rebentos a quererem tirar a carta e conduzir. Faças o que fizeres, transmite-lhes confiança. Senão terás azelhas na estrada pela certa (eu) :P

Navajovsky, é isso sem tirar nem pôr! Sinto exactamente o mesmo. Mas a minha mãe não me faz perguntas dessas. Limita-se a impedir-me de tocar no carro dela...

Luna, mas tu quando foste trabalhar deram-te um carro para as mãos. Se me fizessem isso a mim, eu provavelmente ia espatifá-lo à primeira. Não tenho mesmo prática desde há 2 anos e ganhei medo :(

Vita C, eu tirei a carta aos 23 e também me saiu do bolso (com algumas prendas de natal e anos acumuladas também). No 12º ano nem sequer pedi aos meus pais para ir em viagem de finalistas porque disse que preferia ter a carta. Nem carta nem viagem :P e agora nem carro nem prática. Só queria praticar, naõ estou a pedir nada de especial... Para quando um dia tiver de usar um frequentemente, não me passar...

Luna Tic disse...

não, ias-te safar tal como eu. com quatro meses de carta conduzir até ao algarve. aliás, pior do que isso é mesmo conduzir em lisboa.
a necessidade aguça o engenho ;) digo por experiência própria, que eu não tinha engenho nenhum na tarefa hercúlea de conduzir.