27 janeiro, 2011

E acabo de ver que não tive bolsa de estudo este ano. Ao 5º ano de Universidade, é a primeira vez que não tenho bolsa. Logo no pior ano. No ano em que as propinas são o dobro de sempre, e no ano em que estou deslocada.

Resta-me arranjar 2 mil euros para pagar a propina e o resto para pagar alojamento.

Acho que é a primeira vez que a *crise* me afecta.

Foda-se.

6 comentários:

Dylan disse...

2 mil euros?! WTF?!

Essa maquia não era melhor empregue se comprasses o curso numa qualquer Universidade Moderna?!

(Cheira-me que vais ter que fazer uma perninha num part-time)

Sara non c'e disse...

Dylan, eu já tou a trabalhar desde Maio... mas o que ganho não dá para pagar isso + alojamento + comida... É que ficando sem a bolsa (que me pagava as propinas e me dava alojamento aqui na residência universitária), é logo um tombo brutal para quem está deslocada... Eu já pressentia... Este ano está tudo a ser corrido, eles mudaram os critérios de atribuição de bolsa o ano passado para que isto acontecesse... Tenho tudo feito do ano passado, com notas razoáveis, tenho de pagar o dobro das propinas do ano passado... É a crise, pá...

E eu pedia um empréstimo ao banco, se considerasse que isto é um investimento no meu futuro. Infelizmente não considero, considero-o perda de tempo e um gasto estúpido... Os motivos são óbvios e afectam muitos ex-colegas de curso meus... Acho que estudar certas áreas tornou-se proibitivo para quem não é rico / para quem não tem cunhas para depois do curso...

Vou tentar dormir e pensar na minha vida...
Pessoas, não se metam a tirar um curso de Jornalismo. E esqueçam um mestrado em Relações Internacionais. A não ser que cumpram algum dos dois critérios supra-citados...

Dylan disse...

Isso é tudo muito triste, rapariga. Espero que a tua família se aperceba da situação. Boa sorte! (gostaria de dizer algo mais do que isto porque já passei por esse sentimento de impotência)

Piston disse...

Há mais critérios a incluir. Não esquecer a prostituição.

Não dá para reforçar as horas de trabalho?

Marta Costa disse...

Ui Sara... não tá fácil! :(

Nada que te possa ajudar te posso dizer... sentimento de impotência total! Eu percebo isso de não considerares um investimento no futuro... tanto que percebo que decidi parar o meu!

Vais ver que tudo se compõe...

Beijinho*

Sara non c'e disse...

Dylan, a família não compreendeu a situação quando eu não arranjava emprego na área e andava-me a matar num call center e a, peço desculpa, foder o mestrado. A família não percebe. Além de que a família nunca foi habituada a pagar pelos meus estudos, não vai mudar nada tendo eu 23 anos. Mas eu safo-me. Safo-me sempre!

Piston, já trabalho 8 horas por dia e, para além do mestrado, estou a fazer um seminário. Mais horas é fisicamente impossível. Mas vou pensar na sugestão da prostituição, parece que os gajos que me cortam a bolsa são fãs do negócio.

Marta, não há nada que se possa dizer... é um problema que vou ter de resolver.. ainda estou meia abananada... vou segunda-feira aos serviços ver se isto é irreversível e se tenho de sair da residência...
*