24 novembro, 2010

A Greve

Acho genuína piada a um tipo de comentários que cada vez mais se multiplica em dia de greve: "o país está da maneira que está e as pessoas ainda param para fazer greve, quando deviam era trabalhar mais".

Evidentemente. Um país inteiro está a sofrer cortes (idealmente... já sabemos que não é bem o país inteiro) por causa dos erros de uns quantos marmanjos podres de ricos e outros péssimos decisores políticos, mas as pessoas não se deviam manifestar e fazer parar o país para que o seu descontentamento se faça sentir. Não, não. Deviam era continuar a trabalhar em silêncio, para não afectar a produtividade do país. Produtividade essa da qual os coitados dos que vão fazer greve sem sequer cheiram o lucro. Acredito que os 30 ou 40 euros que os grevistas vão perder, fruto do desconto do dia de greve, se faz sentir bem mais no seu orçamento do que no orçamento dos beneficiários dessa tal produtividade.

Eu sei que há cortes que têm de ser feitos dado o momento que o país atravessa, mas sei também que não precisávamos de estar hoje onde estamos se as políticas tivessem sido melhor direccionadas e se os orçamentos (/e os fundos, senhores, os fundos!) não tivessem sido constantemente mal geridos. E, já agora, se os bancos não se tivessem tornado "demasiado grandes para cair".

É preciso fazer cortes neste momento? É sim senhor, infelizmente, mas todos os dias continuamos a ver milhões esbanjados em parcerias publico-privadas, em atribuições de projectos a empresas "amigas" que depois derrapam, em promoções repentinas, em prémios milionários, em fugas de impostos milionárias, em carros que nem sequer chegam a tempo, numa série de coisas idiotas e dignas de dirigentes políticos e privados atrasados mentais.

Que se lixem aqueles que dizem que fazer greve prejudica o país. Devíamos era fazer muito mais do que uma greve, devíamos deixar de ser comidos por lorpas de uma vez por todas. E eu gostava de ter a solução para que isso acontecesse, mas não tenho. Ainda!

9 comentários:

Luna Tic disse...

eu acho que faltava mais. pessoas com cartazes na rua, gritos de revolta e assim. pronto, eu sou um bocado dramática...

Sara non c'e disse...

Eu fiquei presa em casa, e a trabalhar. E sei que esta greve não adianta de muito, é por isso que queria algo muito maior e que causasse mais impacto. Sim, também sou dramática :p

Luna Tic disse...

vamos preparar nós qualquer coisa, que tal? depois criamos uma página no facebook e pelo menos aí temos montes de adesão, de certeza =)

Starlight disse...

Sabem porque é que não se vê esse impacto? Porque muitas pessoas fazem greve e aproveitam o dia para ir passear e ás compras! Isso é que é lamentável. Eu sou completamente a favor da greve, mas sou como vocês: era ir para a rua fazer barulho, o propósito de uma greve é reivindicar!

Sim, também sou um bocadinho drama queen :)

Sara non c'e disse...

Tem de ser coisas mais concertadas, já se percebeu que um dia de greve não faz nada. Exemplo: os pilotos da tap fazem dias de greve. A empresa tem tanto prejuízo que lhes faz a vontade (infelizmente, porque os pilotos da TAP ganham que se fartam).
Exemplo2: o ano passado, quando os camionistas decidiram fazer greve durante dias, os supermercados ficaram vazios.
O ideia que o Cantona colocou em video, sobre toda a gente tirar o dinheiro do banco no mesmo dia (o que seria impossivel, mas a génese da ideia iria rebentar com o sistema) também seria mais do que catastrófica e surtiria efeitos.
Teria de ser algo assim. Mas como faze-lo mobilizando funcionários públicos e privados?

Marta, há pessoas que não podiam ir porque simplesmente não havia transportes :P mas sim, tens razão, na maioria das greves a maioria aproveita para ficar em casa.. e vai-se a ver e o Estado ainda pouca com as greves dos funcionários públicos: não lhes paga o dia e pouca nos custos fixos de água e electricidade.

Epah, proponho que se rebente com isto tudo. :P

Dylan disse...

Melhor do que essa expressão das greves é a clássica "o que falta a Portugal é um Salazar"!...

Sara non c'e disse...

Ou a também já tornada clássica "isto já nem com 10 Salazares entrava nos eixos!"

Luna Tic disse...

querem ver a minha veia de drama queen ao rubro? sarita, quando se mobilizasse toda a gente para tirar ao mesmo tempo o dinheiro do banco... eu já não tinha nada para tirar...

Sara non c'e disse...

Drama queen :P mesmo q já nao tivesses anda mobiilizavas quem tivesse! Aposto que vamos ver muitos ex-colegas bem na vida. Traduzindo: todos aqueles que mudaram para assessoria :P