26 novembro, 2010

Era uma vez um líder da oposição muito pobrezinho

É assim que começam todos os contos e histórias de ficção, pois então um post sobre uma impostorice tem de começar também.

Diz a Vidas (eu sei, é a Vidas, a versão má do Correio da Manhã, o que só por si já diz muito e é ao mesmo tempo um pleonasmo) que o líder do PSD, Pedro Passos Coelho, só tem dinheiro para dar uma prenda este Natal, e à sua filha mais nova:

"Só há prenda para a mais nova, as outras já não são crianças. Os adultos este ano não têm presentes porque não há meios para isso. (...) Não me vou endividar para estimular a economia. Cada um deve gastar aquilo que pode e eu não gosto de gastar aquilo que não posso"

Minh'alma chora. Depois do deputado Ricardo Gonçalves ter dito que quase não tinha dinheiro para comer, eis que Pedro Passos Coelho confessa a uma revista cor-de-rosa que as filhas de 18 e 23 e a enteada de 15 anos não têm direito a prenda porque a vida está má.

Esta frase dá azo a muitas conclusões. Podia concluir que Pedro Passos Coelho é forreta e guarda o dinheiro todo para fatos bonitos. Ou que simplesmente guarda o dinheiro. Lamento, mas acaba de perder o voto dos comerciantes. Podia concluir ainda que Pedro Passos Coelho é um mau gestor do orçamento familiar, porque mesmo com o subsídio de Natal que vai receber (e mesmo que não receba, é preciso endividar-se por causa de 4 prendinhas?), não tem meios para uns presentes natalícios.

Eu cá acho que não quero um gajo que nem sequer sabe gerir um orçamento de uma casa com meia dúzia de pessoas a mandar num país com 10 milhões. Mas que interessa o que eu quero ou deixo de querer? Vamos ter de gramar com este forreta insensível e mau gestor. E eu cheguei a todas estas conclusões sobre Pedro Passos Coelho de fonte seguríssima, não me venham cá chamar demagoga ou sensacionalista. Se queriam chamar, chamassem quando perceberam que eu ia citar um artigo da Vidas, agora é tarde.

Vou ficar a noite toda a pensar nisto e a sentir-me mal porque a minha mãe me vai dar uma prenda. Provavelmente vai-se endividar, talvez tenha de pedir um empréstimo ao banco de 50 euros. Já não basta o estado deprimente do país e vem-me este agora estragar-me o natal. O meu voto não levas tu, bandido!

Ah, parece que ainda há mais qualquer coisa a concluir daquelas declarações. Que Pedro Passos Coelho gosta de se armar em pobrezinho e coitadinho para a imprensa. E é uma estratégia que costuma resultar bem com os portugueses. Veja-se que o Neemias ainda não fui expulso do Ídolos.

2 comentários:

Luna Tic disse...

se calhar vai explodir o subsídio todo com uma prenda. um carro xpto para quando ela for adulta? assim depois não se sente mal por não lhe dar mais presentes...

ai vida... isto é o verdadeiro significado de "este país é uma anedota".

beijinho pra ti*

Cirrus disse...

O Neemias não sei quem é. Mas ao PPC e outros que tais... conheço-os de ginjeira...