13 dezembro, 2009

Muro das lamentações

Por extrema falta de tempo (tempo para coisas que me dão prazer, porque o tempo é sempre o mesmo), este blog tem estado parado. O que para quem tem o azar de vir cá parar, é uma coisa boa. Mas hoje lá terá de ser, que ando a acumular indignações durante a semana toda.



Primeiro: ODEIO A CARRIS!!!!! Muito, mas muito mais do que odiava a STCP! Desculpem-me STCP, pois fui injusta, vocês são uma espécie de manual do profissionalismo quando comparados com a carris! Desde autocarros que deviam passar de 10 em 10 minutos mas pelos quais eu chego a esperar 25 minutos e depois vêm dois seguidos, até motoristas que se esquecem, repito, ESQUECEM, de cumprir o seu percurso!!!!!!
Todas as noites saio das aulas e rezo ao santo dos motoristas para que o autocarro apareça. Isto é normal? É normal eu perguntar a um motorista porque é que o colega não apareceu e num dia dizerem-me que "ah, sabe, eles acrescentaram isto aqui a lápis, uma pessoa nem vê, tem de reclamar com eles!", até "ah, hoje só me lembrei que tinha de passar aqui na faculdade porque há bocado a central ligou-me para eu contar quantos passageiros entram".

Profundo ódio!!!!!!!!!!!!! Isto é normal? Desde o início das aulas que os motoristas simplesmente se esquecem de fazer o desvio até ao pólo universitário da Ajuda? Sendo que o inicio das aulas já foi há 3 meses?!? E desde essa altura, ninguém reclamou? A carris não faz nada? Não lhes convém fazer esse desvio e por isso é que não faz nada e até pede aos motoristas para contar as pessoas que entram, na esperança que já todas tenham desistido de esperar pela lotaria dos autocarros?!? XIÇA!

Eu odeio autocarros no geral, são o pior meio de transporte da história, mas nunca pensei que um dia fosse ter saudades da STCP!


__________________________________

Mais indignações... ODEIO superiores que ainda há pouco tempo deixaram de ser subalternos e já se esqueceram de como era!
Daqueles que ainda não são nada de especial, mas só porque agora contactam mais com os ainda mais superiores, já pensam que estão na mó de cima e toca de tratar os antigos colegas com mais desdém.

É incrível como as pessoas se esquecem rapidamente do que era ser um mero trabalhador de uma empresa de trabalho temporário, onde as pessoas não primam muito pelos direitos que têm, e onde a empresa tenta lucrar a todo o custo.  
(por exemplo, eu pedir para fazer a hora extra, que tenho de fazer todas as semanas, noutro dia porque nesse dia tinha uma entrega de trabalho, e isso ser-me negado sem qualquer justificação sem ser "é o horário, é assim". no entanto, o horário passados uns minutos deixou de ser assim. porquê? porque dia 8 era feriado [onde eu trabalho não há feriados, não há natal, não há ano novo, os clientes ainda morrem se não mudarem de tarifário de internet nesse dia, é um trabalho equiparável ao que se pratica num hospital, não se pode parar, ai ui] e a empresa não gosta de pagar feriados a dobrar. então fez a proposta irrecusável de: dispensar quem quisesse nesse dia, mas a pessoa tem de trabalhar essas horas noutro dia, e já não ganha como feriado! Negócio da China!!! e para compensar as horas já pude escolher o meu horário à vontade! Sim, porque eu vi-me obrigada a aceitar este chulanço por causa dos trabalhos que tenho para entregar... )

Voltando ao tipo de gente de quem falava no início... não percebo como é possível ter-se começado por ser um trabalhador que também não prima muito pelos direitos e, mal sobe um bocadinho, esquecer-se disso e, perante queixas dos ex-colegas sobre alguns procedimentos da empresa, defender... a empresa que também o já lhe fez o mesmo (faz?). Chefes que saem da faculdade e entram logo a mandar, percebo que sejam completos energúmenos. Não percebo tiques de autoritarismo de pessoas que ainda há pouco largaram as fraldas laborais. Não percebo!


___________________________________

ODEIO colegas que não fazem a parte deles nos trabalhos de grupo!!!!!!!!!!!
E que por isso me obrigam a estar num sábado à noite em frente ao computador a fazer a parte deles!!!!!!

Digam-me: é normal que um colega, já com uma certa idade é certo, frequente um mestrado e conclua que, quando lhe pedem para fazer um comentário a um texto, isso significa traduzi-lo no google para português? E traduzi-lo mal ainda por cima? Do tipo no primeiro parágrafo estar escrito canadenses, a meio do texto canadianos e no fim canadenses de novo? Num português miserável?

Digam-me, é normal eu dizer a essa pessoa que o que se pretende não é uma tradução, ela dizer-me que sabe disso mas que podíamos melhorar "agora" o texto? PODÍAMOS? Agora? Então abdiquei eu de ganhar a dobrar no feriado e ter de compensar essas horas depois a ganha-las como dia normal, e ia agora gastar o meu tempo a ensinar alguém como fazer um comentário a um texto ao nível de mestrado?

E não é que o estou mesmo a gastar?



Profundo ÓDIO! Odeio pessoas no geral!!!!!!!!!!!!!!! Todas excepto aquelas que tiverem a paciência de ler tudo e me disserem "Sara, tens razão, tudo isso é indecente, anda cá que eu vou-te dar um emprego como jornalista e todos os teus problemas acabaram"
E eu abraçarei essa pessoa, escrever-lhe-ei poemas e deixarei de postar, porque este blogue só faz sentido enquanto eu for uma pessoa tão resmungona.

Pronto, já me calei.

6 comentários:

Cirrus disse...

Se calhar, é melhor passar noutro dia, digo eu...

;)

Sara non c'e disse...

Eu não mordo :P só à Carris. E a colegas que não fazem a parte deles do trabalho!

Cirrus disse...

Já se pode?...

Pronúncia disse...

Ui, Sara!
Então e o espírito natalício?!

;)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Ora aqui está alguém que partilha dos mesmos ódiso ( excepto o da Carris, porque só ando de Metro).
E faz muito bem em os exprimir, porque eu também o faço lá no CR.
Não me diga que também nasceu sob o signo do Escorpião...

Sara non c'e disse...

Cirrus, no fundo no fundo sou uma joia de moça. Estás sempre à vontade, desde que não faças parte dos grupos mencionados no meu resmungo!

Pronúncia, o espírito natalício só vai chegar quando eu puser os pés na minha terra e no aconchego do lar :)

Carlos, sou gémeos. Um nadinha bipolar e, por sinal, com queda para o lado reivindicativo. Mas volto a frisar que sou uma jóia de moça ehehe.