26 dezembro, 2009

Adeus Natal, até para o ano

Eu sou uma defensora acérrima e amante incondicional do Natal.
Não me venham cá com coisas do género "o Natal é puro consumismo"; "o Natal é só uma coisa religiosa e quem não o é está a ser hipócrita ao festejá-lo"; "o Natal é um monte de falsidade, estamos sem ver familiares durante um ano inteiro e naquele dia trocamos prendas e votos de paz e amor"; "eu só digo mal do Natal porque sou do contra e ser do contra é cool e intelectual";
Ou melhor, podem vir com o que quiserem, que a mim não me afecta. Não me deitam abaixo, cambada de Grinchs!

O meu Natal é passar mais tempo com a minha mãe, que tem a sorte de ter férias nestes dias... é contar os dias até chegar o momento de ir buscar a árvore de Natal à arrecadação e poder decorar a casa com coisas natalícias... é passear na baixa (este ano Baixa/Chiado :p), à procura das prendas que vou oferecer, ainda que o dinheiro esteja sempre muito contadinho... é fazer tempo antes de vir embora do passeio para esperar pelo crepúsculo, quando as luzes se acendem e as fotografias ficam mais bonitas (embora não apanhem o cheirinho a castanhas assadas que anda pelo ar - e eu nem gosto de castanhas).
O meu Natal é passar dois dias inteiros em casa com a família, a conversar, a comer, a rir, a comer, a ver pela 300ª vez o "Sozinho em Casa", o "Mr. Bean" e agora o "Harry Potter" (este ano parece que não houve o "Beethoven" e ainda bem), a jogar cartas enquanto se come mais um creme ou um pudim. É ir coscuvilhar os embrulhos e contar aqueles com o meu nome, sem nunca querer saber o que são antes da hora certa, para que à meia noite a excitação seja quase igual àquela que eu sentia quando era criança. É pôr lenha na lareira. É constatar que as pessoas com quem eu passo o Natal ainda cá estão todas e eu quero aproveitar todos os Natais que puder ao lado delas.



E este ano foi isto tudo multiplicado por 10 vezes mais intensidade, porque estar longe faz-nos dar o valor devido a estes momentos. Quem me dera que hoje fosse dia 23 e eu ainda estivesse no comboio a caminho de casa, para poder viver tudo outra vez.


post lamechas de 2009! voltarei aos resmungos habituais brevemente!

8 comentários:

Dylan disse...

O que queremos saber é quais foram os presentes que recebeste?

Sara non c'e disse...

Dois deles: bilhete para o concerto de Yo La Tengo, e um boneco do Monstro das Bolachas, da Rua Sésamo. Um Natal feliz, portanto :P

Bruno disse...

Credo.

Afinal Sara tem sentimentos.

Quero a Sara insensivel de volta.
Antes de 2010 de preferencia.

Até admira ninguem te ter oferecido uma assinatura do publico para poderes ler os belos artigos do João Bonifácio.



Felicidades para 2010 (fica sempre bem dizer estas banalidades)

Sara non c'e disse...

Bruno, insensibilidade é coisa que não encontras neste blog. Que eu saiba, a revolta, por exemplo, também é um sentimento.
Quanto ao Público, leio-o de borla na faculdade, preferia antes uma assinatura da Foreign Policy. Portanto, pessoas que me conhecem e que me querem oferecer alguma coisa, Foreign Policy, está bem?

Felicidades para 2010 também para ti!

Bruno disse...

ufa, voltou. E mais cedo do que esperava!

Pat disse...

Olha parece que por aqui se natalou com fartura! E ainda bem! =)

O Natal já lá vai, venha 2010! Bom ano! ;)

Pronúncia disse...

É tão bom encontrar por aqui alguém que também gosta do Natal... andava a sentir-me assim para o sozinha e abandonada! :)

E agora, venha 2010...

elsadossantos disse...

natala à tua vontade! q belo é o natal com coisinhas boas na mesa e presentinhos vários!

*