21 janeiro, 2012

Ajudem-me a ajudar

Caros amigos,

Hoje trago aqui um assunto que - peço-vos - merece a nossa maior atenção. Hoje venho falar-vos de solidariedade.

[e com esta introdução acabo de perder 50% dos meus leitores. Felizmente sobra um. Conto contigo nesta missão de ajuda ao próximo, ãh, leitor resistente?]

Bom. Tomei hoje conhecimento de um caso triste. Mais um neste país em crise, onde o custo de vida aumenta e os salários descem, onde voltaram a aumentar os transportes públicos (e já se sabe, não são os ricos que os usam), um país onde o salário mínimo faz jus ao nome. Um país economicamente miserável no geral, vá.

Os idosos, um grupo especialmente vulnerável, atravessam grandes dificuldades.
Hoje soube de um caso dramático.
Há tempos, um idoso deixou patente perante as câmaras as dificuldades por que passava a sua esposa. Lamentou-se ele a uma senhora na rua que a reforma da sua Maria "Não chega a 800 euros por mês. Portanto depende de mim, tenho de trabalhar para ela". É sempre muito triste não ganhar nem 800€ por mês. Eu sei porque também não os ganho. Meio milhão de pessoas vivem com o salário mínimo (são 485€, para quem não tem bem ideia do que é o país real). O salário médio em Portugal em 2011 foi de 777€ por mês.

Hoje, o pensionista sr. silva mostrou que bateu no fundo. O drama é maior do que se pensava. O sr. silva já não ganha sequer para as despesas. São apenas 1300 euritos que recebe da Caixa Geral de Aposentações, mais uma pechincha do nível mais alto do Banco de Portugal, e que ele nem revela qual é, para que não fiquemos constrangidos com a miséria. Ainda bem que no momento não paga renda de casa. Queira deus que, a gastar mais do que aquilo que ganha, não tenha um dia de recorrer aos mercados, esses trastes gananciosos. Costuma acontecer a quem vive efectivamente acima das suas possibilidades.

O Expresso foi fazer jornalismo e viu quanto pode ganhar um ex-alto quadro do Banco de Portugal. São apenas 8235€, caro leitor. Em 2011, o sr. silva abdicou do vencimento enquanto presidente da República, no valor de 6523 euros, optando por receber as reformas da CGA e do BdP. Como ninguém abdica de uma pensão mais alta, podemos ter a certeza que, pelo menos, o sr. silva leva para casa ao fim do mês 6523 euros. Com certeza que será um valor mais alto, mas não vamos estar aqui a discutir trocos. É uma miséria de salário de qualquer forma. São apenas 13,5 salários mínimos.

Com 13,5 salários mínimos por mês, o sr. silva bateu no fundo. "Tudo somado, o que irei receber do Fundo de Pensões do Banco de Portugal e da Caixa Geral de Aposentações quase de certeza que não vai chegar para pagar as minhas despesas", lamuriou-se.

Por tudo isto apelo. Vamos ajudar este casal de idosos, numa rubrica ao estilo "Todo o Homem é meu Irmão", que o Jornal de Notícias promove todas as semanas.
Podem doar aquilo que quiserem. Dinheiro, enlatados, mantas, juízo. Este casal carenciado aceita tudo, menos falta de vergonha na cara. Disso já têm de sobra.

4 comentários:

Luna Tic disse...

essa estória comovente deu-me vontade de ajudar. infelizmente estou desempregada, caso contrário...

Sara non c'e disse...

Luna, desculpa mas isso não é razão para não contribuir. O casal silva é reformado e está a passar dificuldades. Não adianta ignorar isto arranjando desculpas tipo "sou uma licenciada desempregada num país que Cavaco Silva dirigiu durante uns 20 anos"... Onde está o teu lado mais humano?

Vita C disse...

Além da cretinice, falta ainda referir o machismo da coisa. "Depende de mim", então uma mulher que ganhe (sortuda!) 800 euros depende de alguém? Pena estar a trabalhar a essa hora, senão hoje ia atirar cêntimos ao Palácio de Belém (mas atados a uma fita, que eu também preciso das moedas).

Luna Tic disse...

tens razão... vou deixar de comprar batatas fritas e chocolates, junto esse dinheiro num mealheiro e depois entrego ao cavaquinho =)