10 dezembro, 2011

São 4h45 da manhã. Acabo de estar com gente que não via há anos, outros que não via há meses. Nas ruas do Porto, sobretudo na noite, encontro sempre aquela pessoa com quem não falava há imenso tempo. Encontro gente com quem não vou falar mas cuja cara é conhecida porque partilhamos cidade ou escola; encontro grandes amigos que posso estar sem ver durante meses e com quem falo e rio como se tempo nenhum se tivesse passado.

Vir ao Porto é sempre maravilhoso. Sempre. Já não me lembro se quando morava cá era assim tão maravilhoso. Lembro-me de sonhar com o sair de cá e ir para Londres, ou voltar para Roma. Agora, regressar a casa é sempre incrível. É sempre bom. É bom estar em casa, é bom estar com a família, é bom estar com os diferentes amigos, e é bom ter a consciência do quão bom tudo isto é.

Saberia apreciar tudo isto quando estava cá a tempo inteiro? Creio que não. E pode-se ser feliz a tempo inteiro? Também acho que não. Lisboa é fria, Lisboa é uma cidade difícil, Lisboa é uma cidade por vezes com pessoas diferentes que não abrem a porta e nos convidam a entrar. O Porto também tinha defeitos, mas agora não tenho tempo para os ver.

Lisboa é fria. Ficam as pessoas de cá. E fica o desejo de cá voltar sempre, porque é aqui a minha casa. A frieza de Lisboa faz-me saborear o Porto como se fosse chocolate quente. Não adianta virem todos os lisboetas do mundo dizer-me como a cidade é fantástica e como o Porto é velho e cinzento. Cada pessoa tem a sua Lisboa, cada pessoa tem o seu Porto. Temo que o meu continue a ser apenas destino de fim-de-semana. Resta-me tentar fazer de Lisboa uma cidade melhor para mim.

1 comentário:

Luna Tic disse...

tenho muitas saudades do porto. e apesar de aqui estar, hei-de sempre preferi-lo.