16 janeiro, 2011

Era quem lhe desse dois votos rasgados naquela cara de cínico

Cada vez gosto mais de Cavaco Silva. A sério, como não adorar um homem que nunca comenta nada nem nunca se compromete com nada (a não ser com acções e com os bons amigos que tem. Ah, e com Fernando Lima)?

Eu cá adoro-o. Hoje no Jornal da Tarde da Sic (que tem feito uma cobertura interessante sobre os comícios, não se limitando a passar para o tele-espectador aquilo que os candidatos vão dizendo nos palanques), pudemos ver Cavaco a sair-se com uma muito boa:

"Vou partilhar uma dúvida que tenho. Eu não sei se as imagens desta maré humana que me tem acompanhado chegam a casa dos portugueses através da comunicação social, ou se estão ou não a ser escondidas. É qualquer coisa que eu não sei, porque não acompanho hoje o dia a dia da comunicação social", disse Cavaco com cara cínico.(ver notícia da Sic aqui)


À saída do comício, os jornalistas questionaram Cavaco, e bem, sobre se queria desenvolver mais aquela dúvida e se sentia que estava a ser prejudicado pela comunicação social. 
A resposta foi igual ao de sempre: não existiu. "Ahh estou muito cansado e agora tenho de ir descansar para o Porto.

"Mas não quer explicar aquela dúvida?", perguntou-lhe uma jornalista. Cavaco Silva observou: "Eu não vejo televisão e não leio jornais, quase, há muito tempo". 

É tudo genial neste pedaço de lixo político que Cavaco nos dá. Primeiro lança a farpa, dizendo que tem uma dúvida, que não sabe se as imagens daquele mar de gente que o acompanha estão a ser passadas pela comunicação social. Que, aliás, tem a obrigação de filmar as romarias de campanha, claro... Ai delas! Depois, quando questionado pela comunicação que adora maltratar, Cavaco mostra toda a sua pequenez quando afastado do palanque que o eleva. Está cansado, coitadinho. Não pode comentar. Oh, que surpresa. ELE NUNCA PODE COMENTAR. Nunca é a altura. Nunca é o momento. Talvez não seja competência do candidato à presidência comentar aquilo que o próprio candidato à presidência verborreou.

Mas Cavaco ainda teve tempo de dizer outra asneira: que "não vê televisão" nem "lê jornais" há muito tempo.
Deve ter desistido de ler jornais aquando do escândalo Fernando Lima e suas plantações no Publico de José Manuel Fernandes. Mas é sempre bom saber que um político não se informa na imprensa, nem quer saber o que o rodeia. É maravilhoso. Tanto mais maravilhoso é que o energúmeno planta uma crítica à imprensa e depois diz que nem está atento à imprensa. Genial.


Estou muito tentada a não votar em branco e a votar naquele que estiver em segundo lugar nas sondagens, só pela esperança de não voltar a ver esta peça de decoração como Presidente da República Portuguesa. É um bocado embaraçoso só conseguirmos eleger isto para representar o país. Para quando a opção "Não" no boletim de voto? Eu votava Não neste pedaço de lixo político.

5 comentários:

Piston disse...

Neste caso a culpa é claramente dos jornalistas.
Dói-me a alma por querer que eles façam perguntas que de forma incompreensível não fazem!

Aquela máquina-de-comer-bolo-de-rei andante não podia sair dali sem enfrentar as consequências do que disse sem que para isso tivesse qualquer fundamento.

Ele tinha que ser provocado até ao limite da educação para que fosse forçado a retirar o que disse.

Eu se tivesse um microfone não mão não me conseguiria segurar e teria que soltar um "senhor presidente, não acha que é um acto cobarde lançar uma acusação sem qualquer fundamento ou sem dizer claramente qual o fundamento da mesma?"

Sara non c'e disse...

piston, eu sei que não gostas de jornalistas, e que os consideras uma corja. Isso depois acaba por te toldar a visão das coisas. A culpa não é sempre dos jornalistas, e o teu conceito de jornalismo está errado quando achas que um jornalista deve estender um microfone e afirmar que é um "acto cobarde" aquilo que ele fez, naquela situação.

Creio que o teu comentário é baseado apenas naquilo que leste no post. Se vires o vídeo consegues ver os seguranças a afastar o Cavaco dos jornalistas, e consegues ver que as únicas perguntas que os jornalistas lhe fizeram foram relacionadas com esta matéria. Mas de qualquer maneira, a notícia é elucidativa:

"E pediu que o deixassem passar "para ir descansar", enquanto outro jornalista insistia para que respondesse se "sente que está a ser maltratado" ou se "tem razão de queixa" da comunicação social.

Estas palavras de Cavaco Silva não foram captadas por todos os jornalistas que se encontravam no local, porque alguns foram agarrados ou barrados por parte do corpo de segurança do ainda Presidente da República.".

Tens razão quando às vezes vês um jornalista a não fazer a pergunta certa naquele momento, mas acontece. Por vários motivos que podia trautear para aqui, mas não vale a pena...

Piston disse...

Eu também vi as imagens.
Toda a gente tem o seu ponto fraco. De uma maneira ou de outra os jornalistas têm que descobrir o nervo dele e aplicar-lhes uns furiosos mas cordiais pontapés.

É tudo uma questão de manipular ou ser manipulado.

Luna Tic disse...

não votei nele nas últimas eleições e não vou votar. primeiro pelo trabalho (ou falta dele) enquanto ministro e por ser assim. pouco falador sobre as coisas que realmente interessam.

que irritante!

amsf disse...

Já encontrei o candidato que há-de levar o meu cartão vermelho às elites portuguesas, esse candidato é o José Manuel Coelho.

Palhaço e maluco é o povo que vota sempre da mesma maneira esperando obter resultados diferentes!