05 novembro, 2010

Smells like spirit

Está neste preciso momento a cheirar-me a Roma. Juro, cheira-me a Roma. À minha Roma, não do meu regresso de há três semanas, mas à Roma de há três anos. E nem sequer me cheira a uma parte de Roma qualquer. Cheira-me à cozinha da casa onde vivia com a Ana.

Não sei que cheiro é este, não sei de onde veio. Não é comida, não são deveres (estou no trabalho, nem sei a que cheiram os deveres, ainda bem que o meu nariz é selectivo). Só gostava de saber para poder guardá-lo num frasquinho e cheirá-lo sempre que quisesse fazer uma imersão num passado feliz (o de Roma, não o do trabalho, entenda-se).

O bom disto é que, neste momento, neste exacto momento, eu estou na minha cozinha da Via Pietro Colletta. Ainda sei onde estão guardadas as bolachas, as responsáveis por alguns dos kg da minha engorda romana. E os tortellini, invariavelmente a ocupar a minha parte do frigorífico. Faltava-nos tantos utensílios de cozinha, mas tínhamos tantas outras coisas tão maiores. Todas essas coisas já foram de outras pessoas durante estes três anos. Estão a ser, neste preciso momento. Gostava de saber quem são os portugueses que estão a cheirar neste momento aquilo que me foi emprestado durante seis meses. Gostava de lhes dizer para que cheirem tudo como se nunca mais o fossem voltar a cheirar porque, eventualmente, é mesmo isso que acaba por acontecer.

E eu cheirei (quem começar a ler o texto por aqui, vai pensar coisas erradas). Ah, se cheirei. Às vezes gostava de não ter cheirado tanto, para deixar de carregar este aroma entranhado na memória. Gostava de ter tido alguma sinusite. Mas agora é fácil falar, na altura eu queria lá saber. E se fosse hoje voltava a cheirar tudo com a mesma intensidade, porque só assim é que vale a pena.

E o cheiro à minha cozinha já acabou. Roma também já se me acabou, por duas vezes, aliás. Queria recuperá-los aos dois. Quem sabe se as coisas não acontecem... Também não estava à espera de cheirar um cheiro que pensava já estar esquecido.

2 comentários:

Marta Costa disse...

É tão bom conseguirmos guardar cheiros de sítios que gostamos! São uma parte tão boa das recordações... Não a percas nunca, não a queiras perder nunca!

E como dizem uns senhores que nós até achamos uma certa piada, contida, nada de mais...:

"Don't it make me smile?". Aposto que sim.

O resto tu sabes mas há lá uma parte em que tu podes dizer: "I miss you already yeah...I miss you always..."


Assinado: Nostálgica por defeito. :)*

Sara non c'e disse...

Nostálgica por feitio, nunca por defeito! and it made me smile :)