11 julho, 2010

Miss you already, Miss you always

Há bandas que dão concertos iguais. Que pegam nas mesmas músicas, às vezes nem sequer mudam a ordem pela qual são tocadas, ou que variam três ou quatro por concerto. E depois há os Pearl Jam, que vão buscar todas as músicas de 20 anos de carreira e fazem uma setlist para cada concerto. E é por isso que eu ontem assisti ao meu 10º concerto de Pearl Jam e todos os concertos ouvi três músicas pela primeira vez, uma delas inédita e dedicada aos fãs portugueses. Isso exige muito trabalho - nem todas as bandas estão para isso - e mostra respeito pelos fãs.
No caso dos festivais a coisa não costuma mudar muito, porque a maioria das pessoas quer ouvir os hits. Mas ontem o alinhamento que eles prepararam para o Optimus Alive era diferente daquele tocado nos festivais dos dias anteriores. A abertura com a Release denunciava, à partida, que aquele seria um concerto especial.

Há bandas que quase não falam, ou que dizem meia dúzia de banalidades. "we love you", "gracias", "are you there?". Funciona em tudo o que é sítio e o pessoal bate palmas e esquece no minuto seguinte. E depois há os Pearl Jam, que pedem quase sempre (caso gostem do sitio, do público, etc.) antes do concerto para se traduzirem umas palavras para a língua local. Em Portugal isso aconteceu sempre e, claro, aconteceu ontem. Mais do que isso, e quem já viu 10 concertos, 6 dos quais fora de Portugal pode dizer isto com algum à vontade, ouvir do Eddie Vedder que nós somos o melhor público em termos de acompanhar a banda a cantar, tem significado. Que não é por acaso que eles escolhem sempre abrir ou fechar os concertos em Portugal. Portugal, Portugal Portugal. Sim, somos o único país que tem uma música dedicada. E eles são uma banda única, irrepetível, inigualável.

Set List:  
Release, Small Town, Animal, Given To Fly, In Hiding, Unthought Known, Nothingman, Daughter/Blitzkrieg Bop (Ramones), Even Flow, Just Breathe, Wishlist, Black, Glorified G, Why Go

1st encore:  

The End, Improv (Portugal, Portugal), Public Image (Public Image Limited), The Fixer, Wasted Reprise, Better Man

2nd encore: 

Smile, Once, Alive, Yellow Ledbetter 



Um amigo que também foi ao concerto escreveu-me isto:
Agora percebo. Que sensação incrível, revisitar tudo o que senti com cada uma destas músicas. I'd even fucking tattoo myself too! PJ for life :)


Espero que aquele "the last show for some time" não dure muito, que eu já estou cheia de saudades.
Miss them already. Miss them always.


9 comentários:

afectado disse...

eu também os fui ver ontem e A-D-O-R-E-I. que concerto magnifico!!

até me sinto mal por até ontem nunca os ter visto actuar ao vivo. foi mesmo bom, ouvir ao vivo todas aquelas músicas que marcam de forma tão significativa a minha vida.

e a interacção do eddie vedder com o público foi excelente.

faltou-te referir o solo na even flow... http://www.youtube.com/watch?v=zDNUGnf_5X8

:))))

Sara non c'e disse...

Afectado, ainda bem que tiveste um primeiro concerto desta categoria. Fui para o festival sem expectativas, precisamente por se tratar de um festival. E na noite de ontem senti que estava de volta ao pavilhão atlântico, tal foi o carinho e o cuidado com que prepararam a setlist. Foi incrível :)

Quanto ao solo de guitarra, já estou habituada a babar em frente ao Mike DEUS McCready, que nos brinda sempre com solos gostosos, sempre acompanhadas de alguma bazofice :)))

Se um dia puderes, fica nas primeiras filas em frente ao Mike. Terás uma experiência de concerto única.

R. disse...

foi muito, muito especial.

Sara non c'e disse...

Se foi, Rita. Puseram-me um sorriso nos lábios do início ao fim (e umas lágrimas ocasionais, vá) :)

Vita C disse...

Completamente rendida. Foi o 4º dos muitos que ainda virão, e são sempre diferentes. A expectativa é sempre grande, e sobretudo num festival. Já os tinha visto no outro Alive e confesso que este me arrebatou imensamente. Tantos momentos :') E tanta gente, uma só voz :') Tive pena de não ter ficado tão à frente como gostaria, mas ainda assim foi brutal. Sim, os 10 anos de Roskilde, e eu no Restelo tiveram de ser os paramédicos a tirarem-me de lá, por isso teve de ser com calminha. Mas é isso mesmo, i miss them already, i miss them always (acho que não se importariam com a adaptação)

Marta Costa disse...

Eu já tentei por várias vezes fazer um texto da noite de sábado, e do que ela significou para mim!

Pontos resumidos... 4 concertos (1 deles Londres o ano passado, que amei) e consegui ouvir 10 músicas novas em 24! o ano passado com uma set também de qualidade invulgar em bandas ditas "comuns" tinha o feito de ouvir 16 novas em 28.
Ou seja é como dizes... há bandas que mudam uma ou outra coisa, e há bandas que se dão ao trabalho de preparar o momento, tendo em consideração o esforço e dedicação que tal trabalho merece... estes últimos são claramente os Pearl Jam. E brindaram.me outra vez com o caviar da Release e no mesmo dia com a música que sempre queis ouvir... tantas vezes disse isto que ela finalmente chegou... Nothigmans... a segunda música que conheci da banda... onde nasceu a minha paixão oor estes senhores <3(vou ficar mal habituada com set's destas e queixar-me de qualquer coisa abaixo disto :p)

O contacto que a banda estabeleceu com o público logo desde inicio foi mágico... não estranho, mas mágico! Relmente uma banda que se esforça por chegar aos fãs falando na sua língua, que se esforça por dizer mais que as comuns falas dos artista merece todo o nosso apreço. E se em 2007 algumas das coisas ditas pelo Eddie me pareceram "apenas ditas" no sábado acho que senti que ele as estava a dizer porque realmente as sentia.

Da minha experiência do concerto apenas vou dizer (o que está algures num comentário meu do meu facebook)...

Não bastasse já uma setlist como a que ofereceram e ainda tive o prazer de partilhar junto de pessoas que tanto estimo... terminar a Yellow Ledbetter num abraço colectivo... ou inciar a Release, emotivamente, junto das mesmas pessoas... puder gritar Glorifed G, Smile e Once aos primeiros acordes... ficar doidinha na In Hiding ou na Nothingman e receber uma "visita" nesta última significa muito! não fosse já o concerto bom por si só ainda teve estes momentos!

o conjunto é avassalador no que toca a sentimentos! :') e torna a experiência ainda mais magnifica...

Marta Costa disse...

afinal não foi assim tão resumido! :p

Sara non c'e disse...

Que prazer me dá ler as vossas palavras :) que bom que há mais gente a ter a sorte de sentir aquilo que eu senti :)

Marta Costa disse...

tu és uma rapariga inteligente que consegue perceber o que eu queria dizer. consegui inventar a música "Nothigmans" e mais um ou outra palavra... :s quis escrever mesmo aquilo quando não tinha tempo... deu nisto! :p