24 maio, 2010

E se metessem a vuvu no...




Queridos senhores da Galp:

Quero dizer-vos que no dia em que filmaram esta bosta, eu era uma das pobres coitadas que transitava pela zona das Amoreiras e que também ficou com cara de asno a olhar para esse lindo serviço.

E tenho a dizer-vos que isso não tem piada. ZERO DE PIADA. Aliás, não conheço ninguém que goste da merd@ das vuvuzelas. E eu só me dou com pessoas fixes... Agora reflictam.

Vamos lá parar para pensar durante 1 minuto: vocês estão a investir fortunas na criação deste movimento, que gira em torno de um corno de plástico cujo som que produz é mais feio do que o de um elefante rouco e desafinado. Pior, esse movimento já existe... não é original... é típico da África do Sul. Se tivermos de jogar contra a África do Sul, o que é que fazemos? Apoiamos a selecção adversária com o seu som típico? Querer impingir-nos as vuvuzelas para o Mundial não é mais ou menos o mesmo que andar a vender galos de Barcelos aos sul-africanos para que apoiem a sua selecção?!

Por isso, querida Galp, eu tenho a dizer-vos que me estou a CAGAR para o vosso apoio à selecção. Já para os rios de dinheiro que andam a gastar numa porcaria de plástico e numa campanha que quase toda a gente odeia, já não me estou a cagar assim tanto. Note-se que é com o dinheiro dos portugas que essas campanhas andam a ser pagas.

Se querem ter boa imagem junto dos portugueses, deixem de apoiar só a selecção... apoiem os outros 9 milhões e tal de portugueses: BAIXEM A MERD@ DA GASOLINA!

18 comentários:

Cirrus disse...

Com o dinheiro dos portugueses??? Essa é boa!

Sara disse...

A minha mãe é portuguesa... ela paga 1,40€ e tal por um litro de gasolina na Galp... logo, o dinheiro dos lucro deles também vem do lucro da mi ha mãe... não??

Cirrus disse...

Sara, primeiro, há que ver que a tua mãe anda de carro, logo, adquire um bem, não dá dinheiro. Segundo, os lucros da Galp não vêm do que vendem à tua mãe, nem a mim nem a ninguém deste país. Vender combustíveis dá lucro, mas não dá aquilo que pensas. Vender combustíveis aos EUA, por exemplo, dá muito mais. E não me digas agora que és americana e pagas combustível para andar a pé...

;)

Pronúncia disse...

Começo a odiar a vuvu, nem quero imaginar o que vai ser o mundial com aquela coisa a roncar... pelo menos as bandeiras eram silenciosas :)

Sara disse...

Cirrus, o barril está a que preço mesmo? No passado, quando o barril esteve a este mesmo preço, quanto é que pagavas de gasolina? Ora, este extra vai para o bolso de quem... da minha mãe? Ou da Galp? Ou quer dizer que a Galp anda a fazer um favor a Portugal ao vender 1L de gasolina a 1,44€ quando barril está para aí nos 80 ou 90 dólares? Afinal retiro o que disse. A Galp é uma empresa altruísta. Obrigada Galp!

Pronúncia disse...

Cirrus, a Sara não deixa de ter razão. Repara que eles pagam a campanha com o lucro que têm (mesmo sendo ele menor que nos EUA), certo?! Logo ao patrocinarem esta campanha estão a gastar uma parte desse lucro, correcto?! Pois eu também não me importava nada que eles usassem esse dinheiro, e em vez de patrocinarem a campanha, me patrocinassem a mim e a quem têm que encher o depósito a preços exorbitantes... podes crer que eu agradecia! ;)

Sara disse...

Ah, e Cirrus, a minha mãe adquire um bes que está Cartelizado, por muito que o neguem, está. Logo, não tem grande remédio em andar a sustentar vuvuzelas e outros que tais...

Cirrus disse...

Sara, tu, como muitos portugueses, não sabem do que falam. Que tem a ver o preço do barril com os preços dos combustíveis?
Sabes qual a margem de comercialização de destilados? Sabes a que preço são adquiridos? Sabes o valor do ISP? Sabes que 95% do lucro da Galp está na venda de gasolina aos EUA? Porque será que as pessoas insistem em falar de coisas das quais não sabem nada? Sabias, por exemplo, que quando um camião sai de uma instalação petrolífera, a companhia tem de pagar direitos alfandegários ao estado? Pensas, por acaso, que os cálculos de rentabilidade de uma petrolífera são como os da Zara ou do merceeiro da esquina? Claro que há cartel, é evidente que há. Porque as companhias petrolíferas querem ganhar algum dinheiro daquilo que produzem e comercializam. E as margens são, grosso modo, iguais para todas, por isso os preços também o são. Mas ganhar 10% sobre o produto é assim tão mau? Então e os que vendem café, que ganham 300%? Alguém se queixa desses?? Há uma maneira fácil de evitar o consumo de combustíveis - andem a pé, e vão buscar tudo o que consomem de carroça, como antigamente. Pode ser que saia mais barato. As companhias não têm culpa de Portugal ter impostos que abrangem 60% do preço final do produto. Zanga-te com o Governo, não te zangues com quem faz comércio para ganhar dinheiro.
Pronúncia, o lucro nos EUA é maior? Não sei, francamente. Ou melhor, sei, mas não vem ao caso. Falei nos EUA porque é da venda de gasolina aos EUA que a Galp sobrevive com lucros. Caso contrário... Tenho dúvidas.

Sara disse...

Cirrus, eu falo do que vejo. Se em vez de me explicarem a que horas tenho de tocar numa merda de uma vuvuzela antes de um jogo de futebol me explicassem isso eu agradecia. Até lá, falo do que vejo. Obrigada por me elucidares, é que quando o ano passado o preço do barril subiu de maneira absurda, o aumento da gasolina foi justificado tendo em conta o aumento do preço do barril. Afinal não tem nada a ver, é bom saber disso, muito obrigada!!!!
Comparar um bem agrícola com crude de facto é muito justo, Acho que sim, que um bem que custa muito menos devia ter 10% de lucro também...
"Há uma maneira fácil de evitar o consumo de combustíveis - andem a pé, e vão buscar tudo o que consomem de carroça, como antigamente". Esta nem vale a pena comentar... no mundo de hoje, realmente, esta é mesmo a solução. Ou se calhar é o problema... o combistível é tão imprescindível que as petrolíferas se dão ao luxo de vender o produto ao preço que bem lhes apetece combinando umas com as outras para que ninguém venda abaixo de x. E vejo no fim de contas os milhões de lucros que eles têm. Realmente, o Estado, esse malandro... as petrolíferas passam tantas dificuldades, coitadas... Estado mau, Estado mau!

Eu falo do que vejo. Vejo as companhias petrolíferas darem cabo da fauna e da flora, vejo-os justificarem o aumento com o preço do barril mas depois do barril baixar não os vejo a dar qualquer justificação.
Por tudo isto, desculpa lá falar do que não sei...

Dylan disse...

Penso que é importante encontrarmos novas formas de combustível alternativo. Não só para acabar com esse cartel petrolífero mas para ajudar o ambiente. Neste capítulo e, ao contrário do Brasil, estamos atrasados.
Evito atestar na Galp, principalmente em auto-estradas.

A sonoridade das vuvuzelas parecem as "gaitas" no antigo terceiro anel do Estádio da Luz.

Cirrus disse...

Sara, é como te digo. É um negócio, como qualquer outro. Dou-te um exemplo: que sistema operativo usas no teu computador? Queres outro exemplo? Porque razão pagas 60 cêntimos por um café quando ele custa 18? Porque pagas 2 € por uma alface que custou, no produtor, 12 cêntimos?

Estás a pagar, neste momento, 1,45€ por um litro de gasolina. O barril do petróleo está a 70 dólares. Quando o barril esteve a 150 dólares, pela tua lógica, devias ter pago... 3,20€ por litro de gasolina. Isso aconteceu? Não me parece. Por aqui podes ver que a relação entre o preço do barril e o dos produtos finais não é relevante. O preço relevante é o Platt's de destilados, índice bolsista que determina o preço de gasolina, fuel, diesel e outros produtos resultantes da refinação. omo índice bolsista que é, está sujeito às regras de especulação, que obviamente tendem a manter preços altos e a evitar preços baixos. Mas lembra-te que estamos a falar de preços estabelecidos internacionalmente. A Petrogal, mesmo sendo refinadora, é obrigada pela Lei a valorizar os seus produtos a esses preços.
Além do mais, os produtos têm de ser armazenados (uma petrolífera tem de ter reservas para um determinado peŕiodo, por Lei, que normalmente ronda os 3 meses), que sai caro. As transportadoras que para elas trabalham para colocar o produto no posto para a tua mãe o comprar também pagam ordenados. Motoristas e outros mais.
Não esqueças que a Petrogal, por exemplo, é das maiores empregadoras nacionais, directa mas sobretudo indirectamente. Pagarias ordenados com quê? Subsídios do Estado?

Cirrus disse...

Acresce outro facto: a dupla tributação. O ISP é aplicado ao metro cúbico de produto. Há o custo do mesmo, as reservas impostas por Lei, o custo de operação (instalação onde se guarda o produto) e o de transporte. Tens, assim, o custo base do produto. Aplicando a margem, ficas com o preço base. Depois, aplicas IVA a 20%. E este IVA incide inclusivamente sobre o já incluído ISP. O custo de alfândega está incluído no custo de operação, pelo que passamos a ter tripla tributação. Mas, claro, para ti, o Estado não tem culpa nenhuma. Ficas a saber que, se olhares para o Orçamento de Estado, os três maiores impostos são: IVA, ISP e IA (automóvel). Só depois surge o tabaco. e apenas depois o IRS e, finalmente, o IRC. Faz as tuas contas. Se as medidas agora tomadas podem amealhar 2 milhões, imagina quanto não vale o ISP...
Temos um índice de preços que é o quinto ou sexto mais caro da UE. Curiosamente, temos o terceiro mais caro ISP da UE. Imagina para onde vai a diferença.
Mas digo-te aquilo que me disseram aqui há tempos sobre os lucros das petrolíferas e outras companhias: se preferirem ter companhias falidas e a injectar desemprego, é lá com vocês. Nós preferimos ter lucros, pagar as dívidas e salários e investir.
E quando te falei na carroça, não foi por acaso. Para teres os produtos que tens à tua disposição no mercado, achas que podes prescindir dos transportes? Achas que este mundo sobrevive sem eles? Se estiveres pronta para esse retrocesso civilizacional, então vamos a isso!!! Mas enquanto cada um de nós continuar a viver da mesma forma que vive, é contraproducente falar contra o seu próprio modo de vida.

A propósito, também não gosto de vuvuzelas. Acho a ideia infeliz.

Sara disse...

Desde já obrigada pela paciência de me tentares explicar explicar tudo isso. E já percebo que és parte interessada, portanto não há nada que eu te possa dizer que te faça dar-me qualquer tipo de razão. Mas eu sou uma mera consumidora...
O que me explicaram, enquanto consumidora, foi que quando o barril subiu aos 150$, o litro de gasolina tinha de subir aos 1,50€. Subiu, não estava assim antes!
Agora que o barril está a metade, a gasolina baixou... 6 cêntimos. Seja de quem for a culpa, isto está a ser especulado e o consumidor está a ser roubado! Seja das petrolíferas, dos índices bolsistas, do Sócrates (bem, está na moda culpa-lo de tudo e eu gosto de falar sobre o que não sei), eu não sou obrigada a saber quem é que me está a roubar, mas tenho o direito de mandar vir. Porque isto está errado e quem de direito não me explica porquê!!
E eu sei que é um negócio como outro qualquer, se há negócio que não faz favores a ninguém é o das petrolíferas... Mas se de repente o senhor Delta puser a bica a 1,20€ (e combinar os preços com os outros todos para que o café custe em qualquer lado 1,20€) e mo justificar essa medida com o facto de ter tido uma colheita desastrosa nesse ano, olha, paciência, para o ano a colheita há-de ser melhor e o café volta aos 60 cêntimos. Se não voltar, eu vou falar mal do senhor Delta e dizer que ele me está a roubar. Só te doeu por eu estar a falar de algo que te diz respeito... se calhar tens de tentar descer ao nível de quem está por fora e vê isto acontecer e não percebe...
Com a diferença de que eu posso simplesmente deixar de tomar café... Mas não posso deixar de usar gasolina!!! As pessoas têm deslocações a fazer. Os produtos que comem e bebem são transportados. Isso que dizes é absolutamente ridículo, é óbvio que eu não quero que se ande de carroça, nem que quisesse, não me posso dar a esse luxo! E as petrolíferas sabem disso e podem por o preço que quiserem porque o mundo de hoje depende da energia!

"se preferirem ter companhias falidas e a injectar desemprego, é lá com vocês. Nós preferimos ter lucros, pagar as dívidas e salários e investir". Fixe para as petrolíferas. É que fico mesmo feliz por elas. Já não fico tao feliz pelas empresas que têm de pagar mais combustível e portanto o preço de basicamente tudo encarece porque as petrolíferas não podem baixar os lucros (baixar? os lucros das petrolíferas sequer baixaram??). O bem das petrolíferas é o mau do resto da sociedade, mais despesa para pequenas empresas, para taxistas, para todos. Se calhar alguns não resistem. Mas o importante é que as petrolíferas tenham milhões de lucros para poderem investir. Fixe!

Ah, mas a culpa é do Estado, dizes-me tu. Olha, já que nos roubam, ao menos que o Estado também roube as petrolíferas. É uma espécie de taxa Robin dos Bosques neste caso. Metam-nos a mão ao bolso, mas que ao menos paguem impostos que (idealmente) sejam investidos para o bem de todos. Se o Estado baixar o imposto, quem nos garante que as petrolíferas não voltam a colocar o mesmo preço? Sim, porque as Autoridades competentes de verificar este tipo de coisas mais valia não existirem, é apenas mais dinheiro dos contribuintes gasto numa cambada de inúteis que nada faz, porque, convenhamos, também convém ao Estado que o preço esteja alto.

Sara disse...

Continuo sem perceber o que disse de errado no meu post... As pessoas não percebem porque é que agora que o barril baixou pra metade continuam a pagar quase o mesmo de quando ele estava a 150$. Lucros não faltam, a ver pela quantidade de publicidade a esta porcaria das vuvuzelas...
Os portugueses iam adorar a Galp se ela fizesse um único anúncio nestes moldes:
"Neste Mundial não Vamos gastar dinheiro em publicidade inútil. Vamos pegar nesse dinheiro e baixar a gasolina".
Nem imaginas o impacto que isso ia ter na imagem da Galp :P

Pat disse...

Então mas e o cerne da questão!? Perdeu-se!? eu ODEIO A IDEIA DA VUVU não sei o quê e mais os putos parvalhões a fazerem barulho com aquela m*** que em nada se identifica com o meu país durante todo o dia e toda a noite!

Sara, onde é que assino para matar as vuvucenas?!

Cirrus disse...

Sara, a questão aqui não é o dizeres algo de errado ou não. A questão é estares a protestar sobre algo sem conheceres os contornos do negócio. E não é nada de novo, basta estar atento que a informação está disponível. Os valores de ISP são publicados em DR. As cotações Platt's são informação bolsista. 99% dos portugueses desconhece que a Petrogal vende refinados aos EUA. Não sabe onde se compra o petróleo. Desconhece os lucros da venda de combustíveis aos portugueses...
Enfim, fala-se muito de informação, mas ninguém procura saber um pouco mais antes de dizer aquilo que lhe apraz. Não tem mal nenhum. O único problema é que é que se tende a culpar quem tem menos culpa. Se o ISP for reduzido a metade, verás que será esse o valor a descer nos preços. Exigir que as petrolíferas tenham prejuízos ao passo que contribuem com 20% do Orçamento de Estado ("o dinheiro dos meus Impostos") não só e contraproducente como não iria beneficiar ninguém.
Há ainda uma outra questão que poucos parecem dar-se conta. Há uma sensibilização geral para o que é ambientalmente correcto, e as pessoas conseguem fazer sacrifícios para pagar mais cara a água, a electricidade e outros bens de primeira necessidade para se poderem efectuar reduções globais. No que se refere a combustíveis, pouco se pensa nisso. Quer-se é baixar o preço para se poder gastar mais. Eu percebo, eu percebo. Há que haver um bode expiatório e isso de bater nos impostos está fora de moda, até porque agora os salvadores da pátria também concordam com o aumento dos impostos. Além disso, é evidente que água, electricidade e alimentos não são bens essenciais. Só a gasolina.

Sara disse...

Desisto. Cada um vai continuar na sua. Mas obrigada por me explicares um bocadinho mais sobre todo o processo :-)

Cirrus disse...

Quando e como quiseres tirar dúvidas, estás à vontade. A realidade é que é difícil fazer passar a ideia de que este negócio não é menos nem mais honesto que qualquer outro. Simplesmente é muito regulamentado a nível nacional e internacional. E garanto-te uma coisa. O governo sabe disto tudo e até mais.

Mas ainda bem que desististe. Senão desista eu.

ps: não trabalho na Galp.