15 fevereiro, 2010

soundless jukebox

A música só ia estragar este poema do António Variações...


Não consigo dominar
Este estado de ansiedade
A pressa de chegar
P'ra não chegar tarde 

Não sei de que é que eu fujo
Será desta solidão
Mas porque é que eu recuso
Quem quer dar-me a mão 

Vou continuar a procurar
A quem eu me quero dar
Porque até aqui eu só:
Quero quem quem eu nunca vi
Porque eu só quero quem
Quem não conheci
Porque eu só quero quem
Quem eu nunca vi
Porque eu só quero quem
Quem não conheci
Porque eu só quero quem
Quem eu nunca vi 

Esta insatisfação
Não consigo compreender
Sempre esta sensação
Que estou a perder 

Tenho pressa de sair
Quero sentir ao chegar
Vontade de partir
P'ra outro lugar 

Vou continuar a procurar
A minha forma
O meu lugar
Porque até aqui eu só:
Estou bem aonde eu não estou
Porque eu só quero ir
Aonde eu não vou
Porque eu só estou bem
Aonde eu não estou
Porque eu só quero ir
Aonde eu não vou
...

3 comentários:

elsadossantos disse...

vês? afinal não somos as únicas a passar por estas fases... :)

*

Pronúncia disse...

Quase no início do meu blogue escrevi um post em que a protagonista era esta música, porque me sentia assim... só estou bem a onde eu não estou!

Há dias assim! O que vale é que passam... :)

Marta Costa disse...

Eu acho que no fundo há sempre um verso deste poema que se adapta a mim...