01 novembro, 2009

Geração enrasca

"E o Dr. Rui Sá, não quer provar os novos frutos secos da Matutano?"

Depois de, num dos meus estágios jornalísticos, ter ido a reuniões de Câmara e até ter estado a falar com o eterno candidato comunista à presidência da C.M. do Porto no seu gabinete, na própria câmara municipal, passados muitos meses cruzo-me com ele num supermercado e sou obrigada a tentar vender-lhe frutos secos.

Quem me dera ter feito parte da pseudo "geração rasca". É que fazer parte desta geração enrascada, sem emprego e empurrada para trabalhos temporários, call centers, zons, etc., é do mais frustrante que pode haver... e só quem dela faz parte consegue realmente perceber do que estou a falar.




_____________________________________________

Adeus, António Sérgio. Descansa em paz.

12 comentários:

Rui da Bica disse...

Não Sara, não só quem dela faz parte.
Como eu compreendo bem!... (ainda ha dias - 24/10 - "postei" sobre "crise e desemprego" !
É realmente uma situação frustante, mas não definitiva.

"Geração rasca" é um mito. Não há jovens rasca (com excepções).
Concordo plenamente é com o "enrascanço" desta geração que acaba as licenciaturas.
Bj.... e paciência.
.

Cirrus disse...

Sara, então não é que essa geração já se perpetua há 20 anos??

Sara non c'e disse...

Cirrus, queres explicar melhor? É que não tenho essa noção...

elsadossantos disse...

pois bem. s falo sobre este assunto mandas-m abaixo de braga pq tive o puto do pisso d nem seker procurar emprego na minha área e ter conseguido um lugar...

mas como eu tou numa de adrenalinas várias, vou arriscar e dp logo s vê :P

verdade seja dita. eu tive sorte. nem toda a gente a tem, tomara q tivesse! e outra coisa são as áreas q escolhemos serem tão distintas. é um facto de q n tá fácil no ramo do jornalismo e q eventualmente a engenharia civil, embora com épocas bem melhores, não vá mázinha de todo. e nng t podia obrigar a ti a ir pa engenharia civil (tentei, mas n consigui... :P) nem a mim pa jornalismo (anh... pois... até gosto de escrever umas coisas, mas ia ser uma fraude pela certa...). o q kero dizer é q tb é uma kestão d sorte gostarmos d uma área q tenha um índice de empregabilidade q nos permita sonhar e sermos akilo q já gostavamos desde pekeninos (ou nem tanto...).

não desanimes. apesar de ser uma área difícil, os bons revelam-se sempre e, mais cedo ou mais tarde, acabam por receber akilo q merecem.

tou farta d t dizer isso. ou melhor, farta n estou pq vou continuar a dize-lo até conseguires um lugar para dp t poder atirar à cara o "eu disse-t logo..."´

:D

*

Sara non c'e disse...

Espero que tenhas razão, santa Elsa ;)

Cirrus disse...

Sara, esse fenómeno, ao contrário do que pensas, não começou agora... Quando surgiu o epíteto de geração rasca, foi com a minha geração, pouco mais ou menos... e já foi há muitos anos...

Sara non c'e disse...

Cirrus, eu sei que a 'geração rasca' é anterior à minha. A minha é a geração dos licenciados sem emprego, mas, admito, das licenciaturas a torto e a direito, da escolaridade sem grande brio e sem grande exigência em algumas instituições.
Apelidei a minha de geração enrasca porque, ao contrário do que acontecia antes, a esmagadora maioria agora tira um curso e depois vai trabalhar no que aparece, seja de forma precária, seja em trabalhos para os quais são excessivamente qualificados.
Prometeram-nos toda a vida que se estudássemos seriamos alguém na vida. A promessa falhou com a minha geração e tem de deixar de ser feita, senão estamos a criar uma geração frustrada.

Pronúncia disse...

Sara, a elsa tem razão.
Apesar de a crise de emprego chegar a quase todos os recém licenciados, há uns que sofrem bem mais que os outros.

Há cursos com maior empregabilidade que outros.
para além da eterna medicina, os cursos ligados à informática, à engenharia civil e à engenharia electrotécnica ainda mantém índices de empregabilidade bastante altos, ao contrário dos cursos ligados ao ensino, ao direito e ao jornalismo, que saõ dos que temindices mais baixos.

Hoje em dia, mais importante que escolher um curso, é saber se terá algumas saídas ou não.

Mas o importante é que continues a batalhar... tu não te atrevas a desistir que eu bato-te! Quero ainda ler artigos publicados por ti, e poder dizer "Eu conheço esta senhora, é boa jornalista, não é?!".

Sara non c'e disse...

Obrigada, querida Pronúncia :) talvez quando me sair o euro milhões... e eu comprar o meu próprio jornal.. talvez aí possa escrever umas coisas :P

elsadossantos disse...

pronúncia!

nem seker te conheço, mas já gosto de ti! só pelo simples facto de me teres dado razão!

obrigadinha! xD

sim sara, "sim, nóis pudémos!" força nisso ;)

*

Starlight disse...

És uma croma é o que tu és Sara Maria :)
Pessoas que lutam pelo que querem e têm talento, mais cedo ou mais tarde são recompensadas!
Ou seja, como eu não te vejo a dormir á sombra da bananeira, mas sim a trabalhar no que aparece sem deixar de lutar pelo que quer, tenho a certeza que vais ser recompensada... pode é demorar mais um bocadinho porque não tens nenhuma cunha :P mas que vais, vais! :D

Sara non c'e disse...

Talvez um dia chegue a minha vez. Mas este purgatório é muito difícil de ultrapassar.
Obrigada a todos :)*