09 setembro, 2009

Pequenas diferenças

Ontem, durante o debate que mais queria ver:


José Sócrates - "Eu candidato-me para vencer a direita."

Francisco Louçã - "Pois, eu candidato-me para vencer a crise."



São diferenças.




P.S.: Parabéns, meu amor :)

6 comentários:

afectado disse...

o problema é que as ideias do louçã são, na minha perspectiva, nada aconselháveis.

Sara non c'e disse...

Também não me revejo em muitas delas, nomeadamente nacionalizações (se bem que nacionalizar a Galp era do caraças), ensino gratuito total, etc e tal. Mas gosto da postura dele.

O que quis enfatizar com o post é que todo este conceito de política que vivemos para mim é errado e mete-me nojo. A oposição critica seja qual for a medida que o governo quer tomar, porque se concorda está a dar um reforço positivo a quem lá está e isso depois é usado nas eleições. Mete-me nojo que todos lutem pelo poleiro e não pelo país...

afectado disse...

sim, não podemos ter grande esperança com esta gente...

Pronúncia disse...

Só vi um bocadito do debate, já não há paciência para tanto Carnaval fora de época!

O Lousã, sabe perfeitamente que não será governo, por isso pode dizer o que quiser, por mais utópico que isso seja, sempre ganha mais uns votos!...

PAULO LONTRO disse...

Pouco depois do Abril de 74, Álvaro Cunhal, num debate com o Olof Palm, social-democrata e na altura 1º ministro da Suécia, disse que sonhava uma sociedade sem classe e que em Portugal conseguiria acabar com os ricos e latifundiários chegando a esse tipo de sociedade.

Olof Palme ouviu-o em silêncio, e responde frio e seco como um bom sueco: na Suécia sonhei o mesmo, uma sociedade sem classes, praticamente já o conseguimos, mas optamos por acabar com os pobres…

Sara non c'e disse...

Resposta genial :)