31 agosto, 2009

Doctor, doctor, give me the news!

A peripécia com os Mão Morta, que me fez ganhar um buraco na perna direita, deu origem a uma bela sessão no Hospital de Valongo.

Domingo. 34 graus à sombra. Parece-me o dia ideal para ir a um hospital sem ter de ficar horas à espera que 303894843 pessoas sejam atendidas. Estive lá duas horinhas e só trouxe de lá coisas boas.

A primeira foi a vacina do tétano. Eu nem sei onde anda o meu boletim de vacinas (será que pedem na inscrição para mestrado? É que, a ser recusada num mestrado, preciso que seja por uma razão mais pomposa do que um mero boletim). Mas como caí na terra e não fui levar os pontos quando devia, o sr. enfermeiro achou que dar-me a vacina do tétano era bom. E eu concordo, que assim poupo nova visita ao centro de saúde quando encontrar o boletim e vir lá que já a devia ter tomado há 2 anos.

A outra foi a agradável conversa com o sr. enfermeiro que me estava a salvar a vida.
"O que é que estuda?"
"Estudei. Jornalismo!"
"Ah... esse mal da sociedade"

Ora, estava aqui um diálogo que tinha tudo para dar certo. Até porque argumentar a favor do jornalismo com um profissional de saúde, numa altura de gripe A, deixa-me em maus lençóis. Mas eu batalhei para que, passados dois minutos, o sr. enfermeiro já conseguisse chamar ao jornalismo "mal necessário".

Eu sei que os Media fazem muita porcaria, sei sim senhor. Que manipulam, moldam a realidade, comem criancinhas, sei isso tudo. Mas o que seria de uma sociedade sem jornalismo? Até o 24 Horas tem a sua utilidade, uma vez de 5 em 5 anos pelo menos. Já sem a Manuela Moura Guedes, ambos concordamos que viveríamos todos mais felizes, mas não há bela sem senão.

Falamos da porcaria da Gripe e eu dei o exemplo de Berlim e Londres, onde estive há duas semanas. Em Berlim tudo me pareceu civilizado. As pessoas estavam a ser alertadas para terem mais cuidados com a higiene e tal, mas ninguém olhava horrorizado sempre que um pobre coitado espirrava.
Já em Londres, havia cartazes grandes em papelão que diziam isto.
Não são ambos jornalismo? De quem é a culpa por estas diferenças?

Entre lobbies de farmácias e as falhas do sistema nacional de saúde, a minha despedida do enfermeiro foi feita ao som de uma notícia que a TSF começou a transmitir naquele momento:


Londres apoiou transferência de bombista em troca de contrato petrolífero

O jornal inglês Sunday Times noticiou, este domingo, que o governo britânico apoiou a inclusão do bombista de Lockerbie num acordo de transferência de prisioneiros com a Líbia em troca de um contrato petrolífero com aquele país.


Estava dado o argumento que me fez ganhar a discussão a favor do jornalismo. Mas se o jornalismo fosse mais feito deste material em vez daquele que mais vemos diariamente, tenho a certeza que a discussão nunca teria sequer começado.

4 comentários:

elsadossantos disse...

Com que então é assim que se roubam vacinas do tétano... Muito bem... TENHO A DEZER Q TENHO O BOLETIM EM DIA E QD LIGO PO CENTRO DE SAÚDE DIZ Q TÁ ESGOTADO! Solução: atirar-me po chão, fazer um ar de coitadinha com dores horríveis, dizer q por acaso estava uma limalhazita na terra e NAS EVENTUALIDADES seria melhor tomar a vacina pó caso... AH-AH! APANHEI-TE SUA LADRA! Eu q ando praki com boa intenções, a ligar sempre pa lá pa saber qd xega, e tu a levá-la "de vorla"...

n s faz...

facadas q m espetas nas costas! n como mais crepes ctg! :(

Estudei. Jornalismo!"
"Ah... esse mal da sociedade"
» brutal :P

mario_no_code disse...

Queria só dizer que chegaste a um ponto muito prestigiante para qualquer fã de Mão Morta...uns sonham, outros chegam lá. Estás mesmo muito à frente, e desta vez o Maravillas não pode dizer que é o fã nº1! Muito sacrifício mas por uma excelente causa.

Beijinho e as melhoras

Sara disse...

Lol posso dizer que já fiz muito do que muitos que se dizem "fãs nº 1" de certas bandas... um sacrifício sangrento por Mão Morta não está ao alcance de todos, de facto :P
Bj e obrigada ;)

Pronúncia disse...

Sara, eu ficou louca com algumas das notícias que leio no dia a dia. A falta de rigor, a notícia espectáculo, os imensos erros, dados por profissionais tiram-me do sério. Sou daquelas pessoas muito cépticas relativamente às notícias que leio e ouço.

Eu sei que a classe têm um código deontológico e um destes dias estive para fazer um post sobre isso, porque o coitadinho é violado todos os dias e a todas as horas e minutos, na TV, na rádio, nos jornais e online.

Claro que os jornalistas fazem falta, o problema é que cada vez mais estão é ao serviço do que vende e não ao serviço da verdade.

Mas isto não acontece só com os jornalistas, infelizmente acontece por todo o lado e com todas as classe...

Dantes dizia-se que o sonho comanda a vida, hoje eu acho que o que comanda a vida é o dinheiro!

Já agora, podias fazer um post sobre o vosso código deontológico, era capaz de ser bem interessante a perspectiva de quem está "por dentro"... é só uma sugestão :)