23 junho, 2009

A ditadura dos números pares

Se há coisa que adoro, é ir às compras. Pegar num monte de tralha, ir morar para os provadores e experimentar sem compromisso; ficar ridícula numa camisola demasiado pequena mas ter que tirar a dúvida sem que ninguém, além de mim, veja o decadente pneu a espreitar cá pra fora.

Mas, se há coisa que odeio, dentro desta coisa que adoro, é a ditadura imposta por um bando de magricelas que se dedica à moda para ganhar a vida. Refiro-me a quem estipulou que, na grande maioria das lojas (refiro-me, claro, a lojas com preços decentes), só podem haver números pares nas calças de ganga. O caminho a percorrer desde o 32 ao 44 é longo, penoso e humilhante para quem tem o azar de ter um corpo 37 (número atirado ao calhas, que não me quero ridicularizar aqui publicamente e confessar a tenda que visto, embora seja, claro, um dos infelizes números não contemplados pelos macricelas fascistas).

Mas porque castigo é que uma parte da população tem de escolher entre o 36 e o 38, entre ficar disforme com a gordura oprimida que luta pela liberdade e causar uma visão demoníaca a quem olha, ou ter de ficar a nadar dentro de umas calças descaídas e mal amanhadas? Porque é que os senhores que fazem as calças renegam a necessidade destas consumidoras e acham que elas não são dignas de ter um número que lhes sirva? Porque raio é que tenho sempre de pegar em dois números diferentes de calças, ter o dobro do trabalho a experimentar ambas, e ter de escolher o que me fica menos mal? Porque tenho de decidir entre ter o pneu destacado ou ter de usar um cinto que na maior parte das vezes na parte da frente me faz parecer que tenho uma pilinha? O que é que as gajas 36 e 38 (ou 40) têm a mais que eu (para além de calças que lhes sirvam)? Porque me fazeis isto, senhores, porquê?

Isto é tão estúpido como só haver teclados com as letras a,c,e,g,i,k,m,o,q,s,u,w,y. Agora amanhem-se para escrever pantalones, cambada de espanhóis de uma figa, detentores de Zaras, H&Ms, Bershkas e demais estabelecimentosm (sim, eu sei que a Salsa tem números intermédios mas, enquanto ninguém me der um trabalho, não posso dar 80€ para ter esse privilégio que é ter um número que me sirva).

Fascistas! E ai de quem me disser que tudo isto se resolvia se eu emagrecesse...

8 comentários:

Luna Tic disse...

Pronto. Então, tudo ficava resolvido se engordasses um bocadinho=b muahahaha...

Foi maldosa, eu sei. Especialmente porque eu também tenho esse problema nos números pares. Para além de não gostar deles...nem sempre os consigo vestir =(

Ai, ditadura...

Beijinho*

Pronúncia disse...

Sara, muitas vezes o problema nem está no número... a porcaria do corte é que é um nojo!

Não sei que raio de modelos é que arranjam para fazer o molde que aquilo não serve e nem fica bem a ninguém minimamente normal.

Sara non c'e disse...

Pronúncia, desde os meus 12 que me queixava à minha mãe de ser 'deficiente' porque tudo me ficava mal. Opressores!!!

Pronúncia disse...

Sara, quase de certeza que a culpa não é tua... é dos ditadores da moda e de quem faz aquelas roupas a pensar não sei em quem.

Se reparares e fizeres uma pesquisa, vais ver que mais de metade das mulheres se queixam da mesma coisa... logo o defeito não pode ser da maioria da população feminina, tem de ser da roupa.

Eu por exemplo, em algumas marcas visto calças 34, mas noutras chegava a ser o 38... também já achei que a culpa era minha :|

Agora já conheço é uma série de marcas em que gosto do corte e que normalmente me ficam bem... já nem olho para o número, só mesmo para orientação, mais nada!

O problema é que as marcas com bom corte são normalmente bem mais caras que as marcas que referiste no teu texto, mas compensam, pela satisfação e pela durabilidade.

Sara non c'e disse...

Lá pelos 17 percebi que se calhar o defeito não estava (só) em mim :P Por exemplo, eu sei que se for à salsa encontro calças que me sirvam 'bem', mas lá são um pouco caras... tenho sobrevivido com as marcas espanholas que referi, mas é triste muitas vezes apaixonar-me por um belo par de calças (sem metáforas, falo só das calças) e elas me ficarem mesmo mal por falta daquele número mágico intermédio.
Mas sou feliz na mesma :P

R. disse...

a indústria da moda é uma filha da putice às vezes lol detesto comprar calças porque surgem sempre chatices desse género...

Cirrus disse...

Sara

Pelo menos na Salsa compras material português...

Sara non c'e disse...

Cirrus, por isso mesmo... custa-me mais estar a ser roubada pelos meus semelhantes...